Post to Twitter Post to Facebook

“O aluno de engenharia como empreendedor: um exemplo da vida real”, este foi o tema da palestra do CEO da Radix, Luiz Eduardo Rubião, para alunos de graduação, mestrado e doutorado da UFRJ. A palestra ocorreu esta semana, na Cidade Universitária, e teve como foco estimular o empreendedorismo nos jovens universitários, tanto incentivando a abrirem seu próprio negócio, como foi o caso do CEO, quanto em usar o empreendedorismo na rotina do trabalho.

Luiz Eduardo Rubião começou a palestra contando sua experiência de criar a Chemtech, aos 24 anos junto com mais dois amigos, em uma época em que não existiam incubadoras que apoiassem startups e não havia facilidades como nos dias atuais, e como foi criar a Radix, em abril de 2010, com mais sete sócios. O CEO explicou as dificuldades que a engenharia passou na década de 1990 e os diferenciais que buscou para sobreviver à crise naquela época e como faz hoje em dia, em que o país vivencia um momento difícil da economia e o setor de óleo e gás sofre com o menor preço do barril de petróleo.

“É preciso ter autoconfiança e acreditar no negócio”, disse Rubião, que hoje coleciona títulos na premiação do Great Place to Work, em que a Radix foi eleita por cinco anos consecutivos no TOP 7 das Melhores Empresas para se Trabalhar. Durante a palestra, o CEO revelou que o segredo do sucesso é saber investir nas pessoas e sempre agir com ética.

Além de compartilhar sua experiência, Luiz Eduardo Rubião teve a oportunidade de tirar todas as dúvidas dos participantes sobre os desafios de empreender em momentos difíceis da economia.

Post to Twitter Post to Facebook

Pelo quinto ano consecutivo, a Radix ficou entre as 20 Melhores Empresas para se Trabalhar na América Latina, pesquisa realizada pelo Great Place to Work Institute (GPTW). A divulgação do resultado foi no dia 19 de maio, em Riviera Maya, no México. O resultado é referente aos dados da pesquisa de 2015.

Entre as 20 melhores empresas desta premiação, temos cinco colombianas, quatro mexicanas, quatro brasileiras, duas peruanas, duas equatorianas, uma chilena, uma argentina e uma guatemalteca na lista. Este ano, a Radix conquistou a 18ª posição, na categoria que reúne empresas com 50 a 500 colaboradores.

Para conferir a lista completa, clique aqui!

Sobre a pesquisa:

Realizada desde 1981 pelo Great Place to Work Institute, a pesquisa de Melhores Empresas para se Trabalhar avalia boas práticas de Recursos Humanos aplicadas por empresas do Brasil e do mundo. Atualmente, o instituto Great Place to Work se une com muitas das companhias mais inovadoras e de sucesso em todo o mundo para criar, estudar, e reconhecer excelentes ambientes de trabalho, além dos serviços de consultoria e treinamento.

Post to Twitter Post to Facebook

Transparência, criatividade e relação de longo prazo são algumas das estratégias levantadas pelo CEO da Radix, Luiz Eduardo Rubião, para lidar com as adversidades. O assunto foi debatido nesta quarta-feira, 18, durante o congresso RH Rio, organizado pela ABRH.

Em sua palestra, Luiz Eduardo Rubião levantou a importância de investir na área de Recursos Humanos, principalmente nesse momento difícil da economia e da política do país. “Os fatores externos influenciam diretamente na atividade diária de cada colaborador, por isso, é extremamente necessário um bom trabalho interno, que mostre para o funcionário que é importante ele se concentrar e ter foco no serviço, ser mais ativo, não deixando que o ambiente externo o torne passivo e desanimado. O RH é a melhor área para ajudar a direção da empresa nesta missão”, contou Rubião.

Segundo o CEO, a crise pode ser uma oportunidade para o funcionário se diferenciar, ajudando a empresa na diversificação de serviços. Mas, para conseguir o apoio do colaborador, é preciso ser transparente e investir em treinamentos que ajudem os funcionários a resolverem problemas de forma criativa e sábia. “Temos que ajuda-los a enxergar que é possível passar bem pelos momentos adversos da economia, seguindo as políticas de compliance e, principalmente, mantendo uma relação de longo prazo com os clientes. Para manter esta relação, muitas das vezes é preciso usar a criatividade e ter sabedoria ao lidar com os negócios do cliente”, explicou o CEO.

Quando perguntado sobre transparência, Luiz Eduardo Rubião não hesitou: “É preciso deixar o funcionário por dentro dos resultados da empresa, da parte financeira, e permitir que ele faça todas as perguntas que desejar e esteja pronto para respondê-las de forma honesta”.

A palestra ocorreu no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.